O que é o Yoga?

Yoga significa juntar ou ligar, é um sistema filosófico prático, um darshana (um ponto de vista).

As origens do Yoga remontam há mais de 7.000 anos, no subcontinente Indiano, nomeadamente, na antiga civilização Drávida, que floresceu nas margens do rio Indo.

O Yoga que praticamos não tem na sua designação nem prefixos nem sufixos, e podemos caracterizá-lo como tradicional, aquele que existia antes dos desmembramentos que o Yoga tem sofrido na época moderna.

O Yoga não procura apenas a saúde e bem-estar dos praticantes, pretende colocá-los na senda do Samádhi através da prática da Meditação/Samyama (Dháraná/Dhyána/Samádhi), propósito maior do Yoga e objectivo para o qual todas as outras técnicas tendem. Para alcançar esta meta é fundamental a orientação de um Mestre de Yoga com Conhecimento.

O Yoga é essencialmente prático, implica a vivência constante das 14 disciplinas técnicas do Yoga, através de aulas estruturadas (Sádhaná).

Uma característica do Yoga tradicional é a ausência de acessórios de apoio durante a aula. O corpo é o único instrumento de prática. O praticante evolui de acordo com as suas reais possibilidades, num esforço contínuo sobre si próprio (Tapa), explorando e superando os seus limites. Aprende assim a gerir o equilíbrio, aumentado a capacidade de interiorização e de projecção da consciência (Mánasika); além de uma sábia gestão e controle da respiração (pránáyáma).

Na disciplina técnica Ásana, as posições pelas quais o Yoga é mais conhecido, procura-se a permanência, tal como foi descrito por Patañjali, no Yoga Sútra, cap. II.46 e 47: “A posição deve ser firme e confortável”; E a “posição é dominada quando se elimina a tensão e se medita (no infinito)”.

Para poder evoluir e realizar os objectivos propostos pelo Yoga, é necessário que o praticante trabalhe e aplique os Yama e Niyama, um conjunto de regras estruturantes, de autoexigência, de “Serviço” (Karma Yoga) e de trabalho sobre o ego, que prescrevem a forma como o praticante deve gerir a complexa relação entre o ser biológico que é (com todos os seus impulsos e instintos) e o seu lado pensante e inteligente; assim como a forma como se relaciona com todos os que o rodeiam, o meio social, planetário e o cosmos.

Enumeramos assim as 14 Disciplinas técnicas do Yoga:

  1. Dhyána (Samyama) – Meditação, pelo controlo da frequência das ondas mentais;
  2. Pránáyáma – Exercícios respiratórios de influência energética e neuro-vegetativa;
  3. Ásana – Posições psicobiofísicas;
  4. Yoganidrá – Técnicas do relaxamento físico, emocional e mental;
  5. Kriyá – Tonificação e limpeza orgânica;
  6. Mantra – Domínio dos sons, da vibração e da Harmonia / Kírtana – Sons extroversores;
  7. Jápa Tala – Sons cadenciados concentradores;
  8. Jápa Shesha – Sons contínuos Elevadores;
  9. Bandha – Dinamizações musculares e neuro-endócrinas;
  10. Yantra – Símbolos concentradores de efeito psicossomático;
  11. Pújá – Retribuição energética;
  12. Mudrá – Gestos reflexológicos e energéticos feitos com as mãos (Hasta mudrá);
  13. Nyása – Toque Energético e Projecção Psíquica.
  14. Mánasika – Mentalização, fortalecimento da vontade, e projecção da consciência;

Pratique Yoga

faz-lhe bem!